idéias soltas
Quinhones
Idéias, Memórias, Frases, Textos
comentar
publicado por anita, em 12.11.09 às 21:13link do post | favorito
Fernando Mamede foi um dos grandes meio- fundistas mundiais dos anos oitenta. Começou como corredor de 400 – 800 metros, terminou como recordista mundial de 10.000 metros. E, ao longo de 22 anos de carreira, conheceu apenas um clube, o Sporting.
Mamede era um atleta de duas faces: em meetings, brilhava a grande altura, ganhando, batendo recordes, conseguindo finais de prova entusiasmantes; em grandes competições enervava-se, inibia-se e... desistia.
Foi um problema nunca resolvido e que começou enquanto júnior, nuns Europeus da categoria para os quais partiu como favorito. Problema que atingiu contornos dramáticos nos Jogos Olímpicos de Los Angeles 1984, quando o atleta, recém – recordista mundial e franco favorito, desistiu da prova. Os portugueses nunca esqueceram a madrugada que fizeram á espera de assistirem (pela TV) à conquista de uma medalha...
 
Muitas e muitas vezes penso em Fernando Mamede e em Dom Sebastião que um dia sairá do meio do nevoeiro, como reza a lenda.
Comparo-os muitas vezes também a mim própria, embora sejam duas figuras antagónicas....o que é preocupante para mim!
Cresci ouvindo as notícias deste atleta brilhante, mas que nunca ultrapassou uma qualquer questão psicológica que o paralisava de medo(?) e o fazia desistir. Todos o criticavam e não me lembro dele ter tido ajuda de alguém na época, ou se teve, não se sabe publicamente.
Já Dom Sebastião, fez parte da minha infancia e adolescencia em moldes um pouco idealistas e de esperança vindos da twilightzone.
 
O que é preocupante é que o nosso Portugal Catita ainda vive destas lendas, dos Descobrimentos e das riquezas que tivemos então.
 
Toca a acordar!!!!!
Nada disso existe neste 2009. Sim, já estamos em 2009 e temos de sair do marasmo a que nos habituou o som das ondas em todo o litoral deste país. Temos de parar de ser embalados por esse doce lamento e agir.
Agir.
Pensar.
Errar.
Não ter medo.
Agir novamente.
Vencer.
 
A vida é uma constante Tentativa - Erro.
E não tem mal nenhum, o que custa é a primeira vez.
 
Fernando Mamede continua a ser um dos meus idolos.
E talvez a sua história devesse ser contada, tornada um case studie das turmas de psicologia e finalmente interpretada.
Quem sabe se descobrindo o erro se consiga melhorar outros atletas nessas condições e o país em geral?
 
 

comentar
publicado por anita, em 12.11.09 às 20:58link do post | favorito

Todos os dias esbarramos com ignorantes.

Ignorantes de espírito, de palavra, de saber.

Hoje foi um desses dias em que a ignorância dos outros, a ausencia total de conhecimento dos meus interlocutores me acorrentou e fez esperar.

Esperar.

Esperar o quê e para quê é o que eu agora me pergunto e cuja resposta não sai.

Estou acorrentada.

Aliás, analisando bem, de quando em vez, fico acorrentada a qualquer coisa que não sei bem explicar nem porquê, nem como, mas fico.

E espero como um felino espera a desatenção da sua presa.

 

Gosto de ouvir as histórias, lamentos ou boas novas dos outros, e faço-o sem desdém, faço-o com prazer de poder escutar sem preconceitos, sem limitações, sem rotular a história. Uma forma saudável de conhecer o ser humano que é tão especial e diferente em cada momento da sua vida.

 

O que é engraçado é que eu também sou esse ser humano e também quero ser ouvida e também quero contar histórias.

Mas sei que os meus interlocutores vêm-me como aquela pessoa forte, sem problemas, de bem com a vida, um pouco até misteriosa, que não precisa de nada disso.

 

Acorrentada.

Porque também quero gritar.

Porque também quero aconchego.

Porque também sou apenas um ser humano.

Porque também quero aquilo que todos querem.

 

Acorrentada.

Porque ninguém percebe isso.


mais sobre mim
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
13
14

16
17
18
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


pesquisar
 
blogs SAPO
subscrever feeds